Rondonópolis terá mais 110 leitos com Hospital Unimed

Foi lançada na última sexta-feira (12), durante coletiva para imprensa e entidades, a ampliação de recursos próprios da Unimed Rondonópolis, que em breve iniciará a construção de um Hospital para atendimento dos mais de 70 mil clientes locais e de outras Unimeds, e particulares. A iniciativa pioneira vai proporcionar um grande salto na saúde do município e região, que hoje enfrenta a realidade da falta de leitos de internação nas unidades hospitalares.

Apresentação do Hospital Unimed

Durante a apresentação do projeto com a presença dos médicos que compõem o Conselho Administrativo da Unimed Rondonópolis, o diretor presidente da Cooperativa, o médico ginecologista Cristiano Barbosa Queiroz, destacou a presença do Sistema Unimed em todo o País, com atuação em mais de 80% do território nacional. “A Unimed é considerada o maior sistema cooperativista de trabalho médico de todo o mundo e tem hoje 352 Singulares, sendo 35 na região Centro-Oeste e Tocantins”, explicou.

O presidente enfatizou as dificuldades encontradas atualmente com a falta de leitos não só em Rondonópolis, mas em toda a região. “O município tem hoje ¼ de leitos do que precisaria para atender de forma decente a população. Hoje são 80 leitos em todas as unidades e o necessário seria de pelo menos 250”, pontuou.

O médico lembrou também da série de reuniões realizadas entre os cooperados da Unimed Rondonópolis, que ansiavam pelo projeto, e aprovaram a ampliação dos recursos próprios em Assembleia em maio de 2014. “Definimos que essa iniciativa não é um ato de coragem da Cooperativa Médica e sim uma obrigatoriedade nossa diante da melhoria contínua em atendimento de saúde que queremos oferecer, além de proporcionar condições de trabalho para os profissionais e atração de médicos para a cidade”, destacou.

Entre as entidades e vereadores presentes na apresentação do projeto, os representantes da ACIR, Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), OAB, Serv Saúde e Universidade Federal de Mato Grosso, campus de Rondonópolis, parabenizaram a iniciativa e demonstraram entusiasmo com o progresso que Rondonópolis vai ter na saúde.

Características

O terreno adquirido pela operadora de saúde para a construção do Hospital Unimed está localizado na área do antigo aeroporto municipal e tem 26.937,15 m². O projeto contempla 8.500 m² de área construída com características modernas e sustentáveis, dentro de um processo construtivo racional e uso de tecnologias que aceleram a obra.

Lauro Miquelin, diretor e sócio fundador da L+M – Gestão, Espaços e Tecnologias em Saúde -, que está desenvolvendo o projeto, participou da coletiva e falou sobre o uso racional de recursos do planeta presentes nas edificações projetadas e construídas pela empresa. “As obras convencionais chegam a ter 30% de desperdício com entulhos. Esse processo trabalha com a gestão responsável de energia, água, geração de efluentes e resíduos”, explicou.

Com quase 30 anos de experiência em Design, Construção, Tecnologias e Gestão de Empreendimentos de Saúde de todos os portes, em todas as regiões do Brasil, a L+M tem mais de 75 clientes no Sistema Unimed desde 1995, da Unimed BH a Unimed Jaraguá do Sul (SC), totalizando 17 mil vidas. Inaugurou projetos de 500 a 90 mil m² para organizações como Hospital Sírio Libanês, Mãe de Deus de Porto Alegre, Mater Dei de Belo Horizonte, Samaritano em São Paulo e Unimed BH.

Miquelin frisou também a presença econômica significativa de Rondonópolis no contexto regional e o quanto a população e clientes Unimed precisam da ampliação de recursos na saúde. “Essa iniciativa é absolutamente transformadora e se soma à rede de assistência médica já existente para proporcionar o melhor estado de bem-estar possível”, colocou.

Números

Na chamada fase zero ou de inauguração, o Hospital Unimed irá atender com 40 a 50 leitos de internação. E na primeira fase, já completo, o atendimento contará com 90 a 110 leitos. O centro cirúrgico será formado por cinco salas, entre grandes, médias e pequenas, com a previsão de 676 cirurgias ao mês. A UTI terá 10 leitos e a unidade hospitalar contemplará ainda um apartamento exclusivo para trabalho de parto normal e centro de diagnóstico completo para a realização de exames de alta complexidade, como ressonância magnética. A previsão é de concluir a fase inicial em um ano e seis meses, contados após o início da obra que não tem data estabelecida por enquanto, mas que deve ser o mais breve possível.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

onze − 9 =